Construindo Na Rocha

 

CONSTRUINDO NA ROCHA

 

"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrar√° no reino dos c√©us, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que est√° nos c√©us. Muitos me dir√£o naquele dia: Senhor, Senhor, n√£o profetizamos n√≥s em teu nome? E em teu nome n√£o expulsamos dem√īnios? E em teu nome n√£o fizemos muitas maravilhas?

E ent√£o lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, v√≥s que praticais a iniq√ľidade. Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelh√°-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; e desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e n√£o caiu, porque estava edificada sobre a rocha.

E aquele que ouve estas minhas palavras, e n√£o as cumpre, compar√°-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia;¬† desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda. E aconteceu que, concluindo Jesus este discurso, a multid√£o se admirou da sua doutrina." (Mateus 7:21 ‚Äď 28)

A parábola do homem prudente e do insensato serve tanto como uma conclusão ao sermão da montanha como a uma ilustração da absoluta necessidade de fazer a vontade de Deus.

O QUE DEUS NOS DISSE PARA FAZER

Jesus adverte contra a auto ilusão, uma mera profissão verbal de autoridade SEM A OBEDIÊNCIA À VONTADE DE DEUS

√Č at√© mesmo poss√≠vel para uma pessoa auto iludida exercer um minist√©rio espetacular, usando a autoridade das escrituras e o nome de Jesus, sem servir como disc√≠pulo genu√≠no e obediente.

I - Antes de falar sobre os dois alicerces vamos tirar algumas li√ß√Ķes sobre o serm√£o do monte.

a) O serm√£o do monte:

A mensagem nos Capítulos 5 a 7 de Mateus é chamada de sermão da montanha ou do monte, porque Jesus a pronunciou em um monte nas proximidades de Cafarnaum.

b) Nele Jesus revelou seu pensamento em relação à lei.

c) Demonstrou que posição social, autoridade e dinheiro não são importantes em seu reino.

d) O sermão do monte desafiou os lideres religiosos daquela época, orgulhosos e legalistas.

e) O sermão os chamou de volta às mensagens dos profetas do Antigo Testamento que como Jesus, ensinaram que a obediência sincera a Deus é mais importante do que aplicação leviana da lei.

f) Grandes multid√Ķes seguiram Jesus. Ele era o principal assunto da cidade; todos queriam v√™-lo.

g) Por√©m antes de dirigir-se a t√£o grande numero de ouvintes, Jesus chamou seus disc√≠pulos √† parte e advertiu-os sobre as tenta√ß√Ķes que enfrentariam como companheiros Dele.

h) Jesus disse-lhes que não esperassem fama e fortuna, mas pranto e perseguição, no entanto, Jesus lhes garantiu que seriam recompensado.

i) N√£o podemos usar a mensagem de Deus somente para promover nossos interesses pessoais.

j) Jesus começou seu sermão com palavras que parecem contradizer-se. Mas o modo de vida de Deus normalmente contradiz o do mundo.

SE VOCÊ DESEJA VIVER PARA DEUS, DEVE ESTAR PRONTO PARA DIZER E FAZER O QUE PARECE ESTRANHO PARA O MUNDO

"As bem-aventuranças contradizem o estilo de vida da sociedade."

II - H√° pelo menos quatro considera√ß√Ķes sobre as bem-aventuran√ßas.

1¬ļ √Č um padr√£o de conduta para todos os crist√£os.

2¬ļ Contrastam os valores do reino, que √© eterno com os terrenos, que s√£o tempor√°rios.

3¬ļ Contrastam a f√© superficial dos fariseus com a f√© real que Cristo exige.

4¬ļ Demonstram que as expectativas do AT cumprir-se-√£o no novo reino.

* As Bem-aventuranças não nos permite escolher aquelas que nos agradam e desprezar as demais.

Cada bem-aventuranças diz respeito a uma benção de Deus.

√Č mais do que ter alegrias, implica o estado afortunado daqueles que fazem parte do reino de Deus.

* Existem algumas qualifica√ß√Ķes para entrar no Reino de Deus.

III Conclus√£o do serm√£o do monte: (os dois alicerces) Mt. 7. 24-27

1¬ļ Devemos construir a nossa vida na rocha em um alicerce firme, "Jesus" - Mt. 7.21 - 27

2¬ļ Jesus ensina sobre construir em um s√≥lido alicerce. Lc. 6.49

3¬ļ Aquele que ouve a palavra de Jesus e pratica, √© como o homem s√°bio que edificou a casa (sua vida e suas atividades) sobre a rocha (Cristo) resistindo assim a a√ß√£o devastadora do tempo e da eternidade: as prova√ß√Ķes tenta√ß√Ķes e o julgamento.

4¬ļ O que ouve a palavra de Jesus e n√£o a pratica, √© como um insensato que constr√≥i a casa da sua vida sobre os alicerces humanos do dinheiro, da cultura, dos t√≠tulos, da fama, da popularidade. Os quais como a areia n√£o resistem √† a√ß√£o demolidora do Ju√≠zo Final.

5¬ļ Edificam a casa sobre a rocha significa ser um disc√≠pulo que ouve e coloca em pr√°tica o que aprendeu.

6¬ļ A obedi√™ncia √© o s√≥lido fundamente para que possamos resistir as tempestades da vida. (Tiago 1. 22 - 27)

7¬ļ Como uma casa feita de papel√£o, a vida do tolo se desmancha, reduzindo-se a p√≥.

8¬ļ A par√°bola do homem prudente e do insensato serve tanto como uma conclus√£o ao serm√£o da montanha como uma ilustra√ß√£o da absoluta necessidade de fazer a vontade de Deus.

9¬ļ Nem todo aquele que fala sobre o c√©u faz parte do reino de Deus.

10¬ļ Jesus est√° mais preocupado com o nosso comportamento do que com o nosso discurso.

Conclusão: Jesus quer que façamos o que é certo., e não apenas ensinemos o que é correto. A sua casa, que representa sua vida ( 7.24), resistirá as tempestades da vida apenas se você fizer o que é correto, em vez de apenas falar disto. Aquilo que você faz não pode ser diferente do que você diz crer.

 



www.casadosenhor.com.br
Salvar em PDF
Compartilhar

Estudos Bíblicos. Rádio Web Nova Vida - Bíblia Online

Minist√©rio Internacional Casa do Senhor. © 2003-2018 Todos os direitos reservados. ®